Leitura

A liturgia dos primeiros dias da Quaresma dá-nos as grandes linhas para a vida cristã nesta preparação pascal. A primeira leitura de hoje apresenta a palavra vinda de Deus como força portadora de vida, capaz de produzir em nós uma renovação profunda. A palavra de Deus é o grande alimento deste tempo de jejum quaresmal. A Palavra de Deus é, em última análise, o próprio Cristo, que saiu do Pai e veio ao mundo para manifestar a vontade do Pai.

À Noite

Senhor, hoje bateram-me à porta a solicitar aquele favor. Disse que não. Obrigado por, depois, me inspirares a acabar por fazer o que, antes, recusara. Ajuda-me a dizer que sim, por mais que me custe ou repugne, quando se tratar da execução de um serviço benéfico para os que dele vão tirar proveito. Será este, amanhã e para continuar, o meu programa e determinação: servir, gratuitamente, como Tu, que não vieste para ser servido, mas para servir e dar a vida pelos pecadores. Pai Nosso...

À Tarde

“De fato, se vós perdoardes aos outros as suas faltas, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos outros, vosso Pai também não perdoará as vossas faltas”. (Mt 6, 14-15) O perdão nos liberta de diversos males físicos, psicológicos e espirituais. Um coração livre é capaz de amar e ser verdadeiramente feliz. A quem devo perdoar? Por quem devo ser perdoado? Busquemos o caminho do perdão e da liberdade interior.

De Manhã

Pai de bondade, neste novo dia de Quaresma, agradeço-Te o desejo de amar e de viver a vida com generosidade. Sei que nem sempre tenho consciência desses meus dons e, por isso, Te peço, meu Deus, que me ajudes a não ficar frustrado com as coisas menos boas que acontecem ao longo do dia. Faz-me disponível para ser humilde e fazer a tua vontade sem me deixar levar pela tristeza ou pelo desânimo. Ofereço-Te o meu dia pela Igreja e pelas intenções do Papa para este mês. Gloria...

Salmo

Enaltecei comigo o Senhor
e exaltemos juntos o seu nome.
Procurei o Senhor e Ele atendeu-me,
libertou-me de toda a ansiedade.