A palavra acólito provém do verbo acolitar (do Grego akóloutos), que significa acompanhar no caminho. O acólito é, pois, aquele ou aquela que, nas celebrações litúrgicas, está ao serviço do altar e acompanha e serve o sacerdote, o diácono ou outras pessoas que necessitem de ser ajudadas durante uma celebração, nomeadamente os ministros extraordinários da comunhão e os proclamadores da palavra, no caso das celebrações da Eucaristia, e, no caso de outras celebrações, as pessoas responsáveis por estas.

Principais funções do Acólito:
– Incorporar a procissão de entrada;
– Apresentar o Missal ao Presidente da celebração, aberto na oração do dia;
– Ajudar os proclamadores da Palavra quanto à utilização correcta do microfone, sempre que se justifique;
– Preparar o altar e ajudar o celebrante na preparação dos dons;
– Entregar e receber os recipientes destinados a recolher as ofertas dos fiéis;
– Acompanhar os Ministros Extraordinários da Comunhão na distribuição da Eucaristia;
– Retirar os vasos sagrados após purificação e colocá-los na credência;
– Incorporar a procissão final.

A Paróquia tem um grupo de 26 acólitos (mais de metade na missa da Catequese), constituído maioritariamente por jovens de ambos os sexos, que exercem o seu ofício em todas as celebrações litúrgicas, mormente nas Eucarísticas.

SER ACÓLITO É SERVIR DEUS E TODA A COMUNIDADE. É um serviço que exige uma grande dedicação, um elevado sentido de responsabilidade e, acima de tudo, um sincero compromisso com Jesus Cristo.