Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

“Assim como a nossa vida carnal necessita da respiração para sobreviver, a nossa vida Espiritual necessita da Oração para consolidar a nossa Fé e chegar à vida eterna.”

Lema: viver a mais ínfima coisa unidos ao Coração do Senhor.

Oração com Jesus

De Manhã

Agradece ao Senhor este dia que começa. Pede-Lhe a graça da disponibilidade para acolheres os bons e os maus momentos sem perderes a certeza da sua presença. E oferece-Lhe o teu dia, com as suas alegrias e tristezas, pela intenção que, este mês, o Papa confia à sua Rede Mundial de Oração: os idosos e o seu contributo para a transmissão da fé e a educação das novas gerações. Pai Nosso...

À Tarde

“Deus, ao nos criar, deu-nos o grande dom da liberdade”. (Papa Francisco) Ó Deus da liberdade, peço o dom da libertação para fazer sempre o bem e servir com muita alegria a quem de mim precisar.

À Noite

No final deste dia, coloca-te diante do Senhor com as tuas esperanças e desencantos. Pede-Lhe a graça de te sentires cada vez mais acompanhado e amado por Ele, a maior fonte de energia e propósito que se pode ter. E confia esta noite ao Senhor.Pai Nosso...

Liturgia Diária

Leitura

Esta primeira leitura foi escolhida para acompanhar a do Evangelho, como vai acontecer nos dias que se seguem, em razão da leitura do Evangelho estar sempre ligada à figura de S. João Baptista. Hoje, Deus lamenta-Se por causa da incredulidade do seu povo. Este deixou de se alimentar da sua palavra; por isso, se extravia e definha. Se a tivesse escutado e posto em prática, a sua vida seria como o deslizar suave de um rio a caminho do mar. O lamento de Deus na boca do Profeta é um apelo e uma oferta para o homem. 

Salmo

Feliz o homem que não segue o conselho dos ímpios, 
não se detém no caminho dos pecadores 
nem toma parte na reunião dos maldizentes; 
mas antes se compraz na lei do Senhor 
e nela medita dia e noite.

Evangelho

O lamento de Deus no Antigo Testamento em relação ao povo do tempo dos profetas, encontramo-lo agora na boca do próprio Jesus em relação à gente do seu tempo, que podia escutar da própria boca do Filho de Deus a palavra da vida, e não a sabia apreciar. Com toda a sorte de desculpas, os ouvintes de Jesus esquivavam-se a escutá-l’O e a segui-l’O. Mas a Sabedoria de Deus, que encarnou em Jesus Cristo, triunfará da indiferença superficial dos que não Lhe prestam atenção, como crianças desatentas e caprichosas. 

Homilia

Quem se move pela sabedoria do Espírito Santo, e não apenas por razões humanas, é capaz de descobrir, às vezes nas atividades mais simples ou nas mais difíceis, um gosto escondido, secreto, que dá sabor a esta vida, cujo fim está na eternidade. É o amor, que torna doces as maiores penitências e heróicos os mais humildes trabalhos.

Outras Orações

Rezar o Terço

Pelos idosos, para que, sustentados pelas famílias e pelas comunidades cristãs, colaborem com a sua sabedoria e experiência na transmissão da fé e na educação das novas gerações.

Santo

A vida de Santa Cristiana é um grande testemunho de que nada é coincidência, mas tudo é providência. Os Georgianos consideram-na o instrumento providencial da sua conversão.

Direcção Espiritual

Direcção Espiritual 08: “A vida sobrenatural”

Direcção Espiritual 08: “A vida sobrenatural”

Padre Paulo Ricardo explica nessa Direção Espiritual qual a importância de nos mantermos EM ESTADO DE GRAÇA e por que precisamos detestar profundamente os nossos pecados para ter uma vida de comunhão e intimidade com Deus.

Direção Espiritual 05: As provações

Direção Espiritual 05: As provações

Qual a diferença entre tentação e provação? Como o cristão deve se portar diante de uma e de outra? Por que elas acontecem? A provação é o tema desde novo episódio do programa “Direção Espiritual”.

Notícias Apostolado da Oração

S. João da Cruz, padroeiro dos místicos e poetas

S. João da Cruz, padroeiro dos místicos e poetas

A reforma nunca é obra solitária, mas compromisso partilhado e projeto que deve ser sustentado por uma profunda espiritualidade. S. João da Cruz, evocado na liturgia a 14 de dezembro, recorda-nos precisamente que as nossas estradas existenciais nunca podem ser percorridas em solidão, mas fundam-se num encontro: primeiro com Deus e depois com os irmãos.

Jovens e câmaras de vídeo no convento: Descobrir a vida religiosa e pensar na vocação

Jovens e câmaras de vídeo no convento: Descobrir a vida religiosa e pensar na vocação

Contar a vida de uma pessoa consagrada ou colocar jovens diante de quem decidiu dedicar a vida a Deus: é uma experiência que parece suscitar um notável interesse mediático. E pode ser relevante também em contexto educativo e pastoral, sobretudo em relação com o sínodo dos bispos sobre os jovens, que o papa Francisco convocou para outubro do próximo ano, no Vaticano, e que terá no centro das atenções o tema das vocações.

João Batista, enviado por Deus, continua hoje a preparar-nos para o seu Advento

João Batista, enviado por Deus, continua hoje a preparar-nos para o seu Advento

O evangelista Marcos fez coincidir o início do Evangelho com a aparição de João Batista, apresentando-o de modo breve e sintético (1, 1-8), sem insitir nos seus ensinamentos, contrariamente a Mateus e Lucas. Por isso, no terceiro domingo do Advento, tradicionalmente dedicado ao Batista, neste ano litúrgico B o lecionário recorre ao quarto Evangelho (Jo 1,6-8.19-28), que nos oferece uma apresentação “outra” de João. O trecho litúrgico une três versículos extraídos do prólogo e uma perícope respeitante à confissão do Batista sobre a sua identidade.

Laxista ou rigorosa, que família tens e és? Pais e filhos na era das redes sociais

Laxista ou rigorosa, que família tens e és? Pais e filhos na era das redes sociais

Laxista, restritiva, permissiva, antitecnológica, afetiva e “mediativa”: são seis os modelos de família (em relação aos consumos mediáticos dos filhos) evidenciados num estudo de 2017 publicado em Itália sobre “Media digital e social, educação e família”.
Quatro tipos de família, ainda que manifestem comportamentos opostos, são considerados como tendo baixo impacto educativo, refere o diretor do Centro de Investigação sobre Educação para os Meios e Comunicação, Informação e Tecnologia da Universidade Católica do Sagrado Coração, em Milão.

O cristianismo perante a pobreza

O cristianismo perante a pobreza

O ensaísta Christopher Hitchens costumava discutir com Madre Teresa, muitas vezes com tons vulgares e às vezes ignóbeis, acusando-a de não querer eliminar a pobreza, mas apenas de aliviar a dor dos pobres. Na realidade, toda a ação da santa não era mais do que uma infinita obra de amor para com os abandonados de Calcutá, primeiro, e depois de muitas partes do globo: uma obra que provavelmente não tem igual durante o século XX. Um século em que também trabalhou Dorothy Day, uma das quatro figuras de grandes americanos mencionadas pelo papa Francisco no seu discurso no Congresso em Washington, em 2015 (os outros foram Abraham Lincoln, Martin Luther King e Thomas Merton). Para Dorothy, cujo processo de beatificação está em andamento, era importante combater a pobreza e cuidar dos pobres. Madre Teresa e Dorothy Day: duas formas complementares do catolicismo para a questão da pobreza.

Cada mês, o Santo Padre confia ao Apostolado da Oração uma intenção de oração, intercalando-se entre uma intenção universal e uma intenção pela evangelização: Universal, com temáticas que apelam a todos os homens e mulheres de boa vontade, não só aos católicos; pela Evangelização, mais centrada na vida da Igreja e na sua missão evangelizadora.   O Apostolado da Oração divulga estas intenções e reza por elas. São cerca de 40 milhões de pessoas no mundo inteiro. Associar-se a esta família de todas as línguas e culturas é passar a fazer parte de uma rede mundial centrada no Coração de Jesus e unida pelas intenções de oração do Papa.

Assumindo as propostas de oração do Santo Padre, somos chamados a viver a coerência entre a oração e a vida. Rezar é fundamental, mas deve transformar-nos, levando-nos a agir de acordo com a nossa oração. Rezar por estas intenções abre o nosso olhar e o nosso coração aos problemas do mundo, tornando nossas as alegrias e as esperanças, as dores e os sofrimentos de todos os nossos irmãos e irmãs. Fazê-lo como membro de uma rede mundial de oração torna presente no nosso quotidiano a universalidade da Igreja. Por isso, se recomenda que esta oração diária seja vivida de forma particularmente intensa na primeira Sexta-feira de cada mês, quando todo o AO recorda a revelação do amor do Coração de Jesus por toda a humanidade. Nesse dia, para além da oração pessoal, recomenda-se a participação na Eucaristia, sempre que possível.

Bem-aventuranças [Sermão da Montanha (Mt 5, 1-12)]

Naquele tempo, ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-Se.
Rodearam-n’O os discípulos e Ele começou a ensiná-los, dizendo:

«Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados os humildes, porque possuirão a terra.
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.
Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa, vos insultarem, vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós. Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa».