Leitura

O Apóstolo proclama o Evangelho. Aí se revela a justiça e a santidade de Deus; por ele o homem chega à fé. Mas a própria obra da criação já é reveladora de Deus, para quem a souber ver e contemplar. A degradação em que os homens muitas vezes caíram foi fruto da cegueira que não os deixou olhar para essa revelação de Deus, e, ao mesmo tempo, impedimento para que a pudessem contemplar. As obras do homem sem Deus não o deixam reconhecer a obra de Deus.

Leitura

Começamos hoje a ler a Epístola aos Romanos. É a maior carta de S. Paulo e a mais difícil. Nela, o Apóstolo expõe a doutrina cristã, de sorte a fazer compreender aos cristãos que vinham da comunidade judaica a novidade do cristianismo em relação à lei de Moisés. Hoje, lemos apenas a dedicatória dessa epístola, na qual, segundo o costume de S. Paulo, faz a sua apresentação como Apóstolo de Jesus Cristo, identifica desde já o Senhor Jesus como descendente de David e Filho de Deus, e se dirige aos destinatários da carta: “A todos os que habitam em Roma.”

Leitura

O banquete é, com frequência, na Sagrada Escritura, figura da reunião dos homens no reino de Deus. Assim como também hoje se lê em Isaías, aí o banquete é o lugar de encontro de todos os povos, todos eles chamados à comunhão na montanha onde o Senhor habita, o Monte Sião, figura da Igreja de Cristo.

Leitura

O julgamento das nações no Dia do Senhor prepara o tempo de alegria da restauração da cidade de Deus, na qual o Senhor habitará, dando a paz ao seu povo. A história de Deus do passado que os profetas iam acompanhando e ajudando a ser entendida pelos seus contemporâneos é a história de hoje e de sempre: “Deus ama, Deus cria, Deus julga, Deus salva, Deus faz Aliança”. Assim alguém resumiu a história da salvação.

Leitura

Depois da breve alusão da leitura de ontem ao “Dia do Senhor” no profeta Malaquias, o mesmo tema aparece hoje no profeta Joel. Jesus falará de maneira semelhante ao referir-se ao fim do mundo, exortando os homens a elevarem-se acima das suas leviandades ou ocupações pecaminosas. O “Dia do Senhor” quer levá-los a todos ao “Dia de Cristo”, dia de luz e de glória.