Ninguém nos roubará a esperança

Na Audiência Geral de ontem, de 11 de Outubro, o Papa Francisco dedicou a sua habitual catequese ao tema da “espera vigilante”.

Uma dimensão importante da esperança cristã é a expectativa vigiante. O Novo Testamento ensina que é preciso estar sempre prontos, à espera do Senhor, que voltará glorioso no final dos tempos. E, enquanto esperamos este encontro devemos viver a nossa existência como um dom precioso do Senhor, sem nunca nos deixarmos levar pelo tédio, medo ou melancolia. O cristão, de fato, sabe que nada acontece por acaso, que a vitória de Cristo já teve lugar: somente esperamos a sua plena manifestação. Por isso, não olhamos para o passado com nostalgia, mas para o futuro, perscrutando a história com confiança, sem nos deixarmos abalar pelo pessimismo ou cair na tentação da resignação, mas sabendo, como protagonista da construção de um futuro melhor, sacrificar o próprio conforto para servir os demais, enquanto clamamos com fé: “Maranatha, vem Senhor Jesus!”.